Como acionar o seguro de carro

Saiba o que fazer em caso de sinistros. Confira todo o passo a passo para receber a cobertura

Nesse artigo você vai poder conferir como acionar o seguro do carro, por quem ele é oferecido, como solicitar a cobertura e qual a diferença entre seguro e proteção veicular. Essas e outras questões você confere a seguir!

O seguro auto é oferecido por empresas seguradoras de veículos. Ele é extremamente necessário para proteger seu carro de danos causados pelo uso cotidiano e/ou por outras pessoas.

Os contratos mais tradicionais oferecem assistência para pequenos reparos, como troca de pneu, até grandes acidentes com perda total. Mas, você sabe como acionar o seguro de carro e quando chamá-lo?

É importante salientar que os seguros não só tratam de bens materiais, é possível também contratar um seguro que trata de acidentes pessoais dos passageiros, de roubos ou furtos e de cobertura de terceiros. Saiba mais sobre esse assunto.

Como acionar o seguro?

Quando algo acontece com o seu carro é chamado de sinistro. Esse acontecimento pode ser uma batida, furto, roubo ou qualquer problema que esteja previsto na apólice do seguro, que nada mais é do que o contrato do seguro.

A primeira coisa a fazer para acionar o seguro do carro é registrar um Boletim de Ocorrência

Em casos de batida, furto e roubo é preciso acionar o seguro do carro (Foto: depositphotos)

O primeiro passo para que o seguro cubra os danos do seu automóvel é prestar um boletim de ocorrência. Esse documento tem validade para as Polícias Civil, Federal, Militares, Bombeiros, Guarda Municipal e qualquer outro órgão fiscalizador de trânsito ou da Justiça Brasileira.

Logo, assim que você perceber o sinistro comunique a um policial e registre um B.O. É importante ter testemunhas do ocorrido. Para isso, anote os nomes e contatos delas, pois podem ser úteis mais tarde.

O segundo passo de como acionar o seguro de carro é fazer um aviso de sinistro à seguradora. Entre em contato com a empresa e descreva exatamente o que aconteceu.

Veja também: Como economizar combustível na moto e ou no carro

O procedimento posterior varia de empresa para empresa, porém tudo o que estiver previsto no seu contrato deve ser cumprido, inclusive assistência 24h no local do sinistro.

Você sabe a diferença entre seguro e proteção veicular?

Alguns motoristas ficam decepcionados por não conseguir a cobertura desejada quando ocorre algum acidente. Porém, alguns deles se quer sabem a diferença entre seguro auto e proteção veicular. O primeiro é feito por uma empresa, enquanto o segundo é uma cooperativa de pessoas.

A primeira disparidade entre eles é a ausência de apólice. A proteção veicular é mais livre e, portanto, não há termos tão fechados quanto o seguro auto. Em compensação, o seguro faz um levantamento sério sobre o estado do automóvel, quem o dirige, onde e avalia todos os riscos para cobrar por isso. A proteção analisa somente as características do carro e isso pode ser crucial na hora de receber cobertura por danos causados por terceiros.

Veja também: Como é calculado o IPVA do meu carro

O pagamento também não é igual para ambas garantias. O seguro é cobrado uma vez por ano e pode até ser parcelado em alguns meses, porém a proteção veicular cobra uma taxa mensal.

Outra característica que os distingue é que as seguradoras são regulamentadas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados – CNSP, pela Superintendência de Seguros Privados – Susep, e pelo Ministério da Fazenda. Ao mesmo tempo em que as cooperativas não são fiscalizadas por órgãos oficiais.

Agora que você já saber como acionar o seguro de carro é importante ressaltar que você precisa sempre andar na direção defensiva para evitar problemas maiores cujo seguro não vai se responsabilizar. Esteja sempre do lado certo e respeite as normas de trânsito brasileiras.

Veja também: Sonhar com batida de carro

Sobre o autor

Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.