Qual foi a primeira capital do Brasil?

Se perguntarem qual foi a primeira capital do Brasil, muita gente pode ter como resposta a cidade do Rio de Janeiro. No entanto, pouca gente sabe que por cerca de 200 anos, durante o período do império português, a capital do território brasileiro ficava no nordeste.

Para falar mais sobre essa parte da história do Brasil, este artigo é dedicado a explicar qual foi o nome da primeira capital do Brasil. Além disso, você vai descobrir quem a fundou e o porquê foi transferida. Confira.

A primeira capital do Brasil

A primeira capital do Brasil foi a cidade de Salvador. Fundada oficialmente em 29 de março de 1549 sob o nome de “São Salvador da Bahia de Todos os Santos”, ela passou 214 como sendo o centro do governo português no país.

Farol em Salvador

Para ser a capital do Brasil, Salvador passou por algumas modificações estruturais, visando a proteção do território (Foto: depositphotos)

O nome da nova cidade foi escolhida em homenagem a Jesus Cristo, a figura central do cristianismo.

Para entender essa escolha é preciso, em primeiro lugar, saber qual era o contexto histórico. Quando Salvador foi fundada, o país era uma colônia do Império de Portugal.

Por isso, alguns historiadores negam que ela teria sido a primeira capital. Mas, é preciso saber que o território nacional havia sido dividido em várias capitanias, que foram entregues para nobres de confiança de Dom João III, governante de Portugal no período.

No entanto, o território era muito vasto. Isso fez com que muitos colonos acabassem isolados das outras capitanias. Aliado a uma série de ataques dos indígenas a esses locais, Portugal resolveu que iria estabelecer um governo-central no território brasileiro.

Para isso, foi escolhido o militar e político português Tomé de Souza, que atracou no litoral do nordeste com seis embarcações e cerca de mil pessoas. Ele estabeleceu o seu governo no local que seria conhecido como Salvador e fundou ali a cidade que viria a ser a capital da colônia pelos próximos 200 anos.

Uma curiosidade é que a região foi pensada para ser uma cidade-fortaleza. Isso porque, todas as outras cidades da colônias sofriam com sucessivos ataques dos nativos do território.

Para isso, Tomé de Souza se inspirou nas antigas cidades gregas e na arquitetura italiana da época. Por isso, foi separada em uma parte alta e baixa, e foi criada uma barreira, que servia como uma espécie de muralha, feita de pau-a-pique.

Em que estado ela fica atualmente?

Quando foi fundada, em 1549, São Salvador da Bahia de Todos os Santos ficava no território pertencente à capitania hereditária da Baía de Todos os Santos, atual estado da Bahia, um dos nove estados da região nordeste.

No entanto, é importante mencionar como ocorreu a primeira divisão socio-política do território. No início, foram criadas 14 capitanias, que possuíam autonomia. Apesar disso, a Coroa Portuguesa resolveu instituir um governo-geral no território, devido ao fracasso das capitanias.

Os principais problemas enfrentados pelos colonos na época eram de adaptação ao clima diferente, a falta de recursos humanos e os altos investimentos. Além disso, ocorriam diversos ataques de tribos indígenas. Com isso, muitos abandonavam os seus postos ou não conseguiam administrar o território.

Através dessa mudança, o controle português sobre o local resistiu aos ataques de tribos indígenas e à duas invasões de neerlandeses. As primeiras aconteceram entre 1624 e 1625 e a última no ano de 1638.

Por que Salvador foi escolhida na época?

Vários fatores levaram a Coroa Portuguesa a escolher Salvador como sede do governo. Os principais deles foram a importância econômica e a estratégica que a região nordeste possuía naquela época.

Como no início do século 16 o Brasil era uma colônia de Portugal, o território servia apenas como um exportador de produtos valiosos, como açúcar e pau-brasil. Portanto, a região nordeste era a maior produtora de pau-brasil.

Além disso, toda a produção de cana-de-açúcar era centrada na região da zona da mata do nordeste. A maior região produtora era a capitania de Pernambuco, já Salvador ficava em segundo lugar.

Por essas razões, Salvador não era apenas o centro do comando em terras nacionais, mas também o principal porto. Então, servia perfeitamente para escoar toda a produção para o império de Portugal, do outro lado do oceano Atlântico.

Um outro ponto que serviu para que o local fosse escolhido era a proximidade com as duas únicas capitanias hereditárias que prosperavam. Essas capitanias eram faixas de terra que iam do litoral até o limite do tratado de Tordesilhas, que serviu para dividir as áreas de exploração do chamado “Novo Mundo”.

Como o território era muito vasto e relativamente inexplorado, era de extrema importância que o centro do poder estivesse próximo ao principal centro econômico.

Portanto, Salvador era um ponto estratégico de controle e escoamento de produção. Dois pontos principais para se manter o controle sobre o território e os colonos que tomavam conta dele.

Quando e por que a sede do território foi transferida para o Rio de Janeiro?

Salvador permaneceu como sede da colônia por 214 anos, de 1549 a 1763.  O rompimento aconteceu após um decreto da Coroa Portuguesa, transferindo o centro do poder e o principal porto para a cidade do Rio de Janeiro.

A principal motivação foi econômica, após uma série de fatores decisivos que minaram a importância política e econômica de toda a região. Como já mencionado, a relevância do nordeste se deu através de dois ciclos, o do pau-brasil e do açúcar.

No entanto, isso começou a mudar após a crise do açúcar iniciada na segunda metade do século 17. Nessa época, ocorreram muitas invasões de holandeses ao litoral nordestino, que buscavam dominar o local e a produção açucareira. Quando eles foram expulsos, seguiram até as Antilhas e iniciaram uma produção de açúcar no local.

A questão é que os holandeses dominavam o comércio marítimo da região. Então, começaram a vender o produto mais barato no mercado europeu, conquistando o comércio em pouco tempo.

Isso acarretou em uma grave crise financeira no Brasil, agravando-se em meados do século 18. Nesse momento, a sede de governo do território foi transferida para a Região do Rio de Janeiro.

Também foi nesse período que houve uma mudança na economia, dando início ao ciclo do ouro. Com várias jazidas encontradas em Minas gerais, Goiás e Mato Grosso, a Coroa se viu forçada a mudar o centro de comando para um local que facilitasse o escoamento da produção.

A decisão da mudança partiu do Marquês de Pombal, que era o então ministro português. Nessa época, o Rio de Janeiro já era considerado um centro econômico e portuário de extrema importância para a colônia.

Quando ela foi transferida para Brasília?

Quando perguntado sobre qual é a capital do Brasil hoje, qualquer pessoa sabe responder que é Brasília. No entanto, essa mudança só ocorreu em 21 de abril de 1960, quando a cidade modelo foi inaugurada pelo então presidente Juscelino Kubitschek.

A cidade foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e o urbanista Lúcio Costa. O local, que já era chamado de planalto central, foi escolhido por ser um ponto estratégico em caso de defesa e para povoar o interior do Brasil.

Uma curiosidade é que o plano de transferir a capital do litoral para o interior já existia desde 1821, um ano antes da independência. A ideia era proteger a família real em casos de ataques marítimos, o que não seria possível com o centro de poder no litoral do território.

Contudo, a ideia só foi posta em prática em 1956, quando o presidente assinou a ordem de serviço para a construção da nova cidade, que foi totalmente planejada. Após quatro anos, o centro do poder foi transferido do Rio de Janeiro para a recém inaugurada Brasília, que é considerada uma das maiores obras de arquitetura do país.

Como é Salvador hoje?

Mostramos nesse artigo qual foi a primeira capital do Brasil e quais os motivos pelos quais Salvador foi a escolhida. Se tornando assim uma das cidades mais antigas de todo o continente americano e uma das primeiras totalmente planejadas, ainda no período renascentista.

Atualmente, a cidade é considerada a mais populosa da região nordeste e a terceira no ranking nacional. A localidade é considerada também o centro da cultura afro-brasileira no país, tendo também a maior influência africana na cultura.

Isso se deve, principalmente, por conta da grande quantidade de escravos que aportou no local durante o período colonial. Por causa do ciclo da cana e do local ser o principal centro de comércio da colônia.

Sobre o autor

Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.