Posso viajar de avião estando resfriado, gripado ou com sinusite?

Você se programa para uma viagem, mas às vésperas pega aquele resfriado. Você pode viajar mesmo assim?

Você sabia que viajar de avião estando resfriado pode ser perigoso? Pelo menos é o que afirma Heloísa Santos, otorrinolaringologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Acontece que durante o inverno, os casos de gripes, resfriados e inflamações na garganta aumentam consideravelmente. Essa temporada no Brasil coincide com o período das férias do meio do ano e muitas vezes temos que viajar mesmo doentes.

De acordo com a ciência, viajar com uma das patologias podem causar um incômodo a mais: a dor no ouvido. Muitas pessoas sofrem bastante na descida do avião com fortes dores em um ou nos dois ouvidos. Esse problema pode se agravar quando estamos doentes.

Viajar de avião estando gripado ou resfriado. O que acontece?

Segundo Heloísa Santos, otorrinolaringologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o ouvido tem uma ligação com o nariz através da tuba auditiva, que é formada por músculos envolvidos na mastigação e deglutição, ou seja, quando mastigamos ou engolimos, também abrimos e fechamos a ligação para o ouvido.

“Durante o pouso em um avião, a pressão atmosférica vai aumentando e a do ouvido acaba ficando menor, gerando aquele desconforto do “ouvido tampado”. Uma das melhores formas de melhorar essa sensação é mastigar, pois assim a tuba auditiva irá abrir e fechar, equalizando a pressão de dentro do ouvido com a atmosférica”.

Mas a médica alerta que, se estivermos com alguma gripe ou inflamação, isso pode piorar. “Se existe algum tipo de secreção ou obstrução na tuba auditiva, ouvido ou nariz, como nos resfriados, esse sistema fica prejudicado, podendo causar dor, vertigem, zumbido, perda auditiva temporária ou até mesmo a ruptura do tímpano, gerando sequelas permanentes”, explica a especialista.

Mas não são só as gripes, resfriados e gargantas inflamadas que pioram dentro do avião por conta das alterações de pressão. Alguns fatores muito presentes nas aeronaves, como umidade e oxigênio podem piorar alguns sintomas. A especialista recomenda: “o ideal é sempre consultar o médico otorrinolaringologista para avaliar se é possível viajar de avião ou não”.

Contaminar outros passageiros

Outra incompatibilidade na hora de voar é o risco de você contaminar outros passageiros, o que não é nada agradável. Por isso, se for inevitável pegar o voo mesmo doente, procure fazer uso de lenços para estancar a expansão dos espirros e não compartilhe nada com os outros passageiros, a fim de não repassar o vírus para eles. Evite comer a comida do avião investindo em frutas ou algo mais saudável. Além disso proteja-se do frio em casos de ar-condicionado muito forte.