Frases de Sigmund Freud


Algumas frases de Freud…

“Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.”

 

“Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada!”

 

“A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.”

 

“Um homem que está livre da religião tem uma oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa.”

 

“A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos.”

 

“Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons.”

 

“O pensamento é o ensaio da ação.”

 

“O sonho é a satisfação de que o desejo se realize.”

 

“Se quiseres poder suportar a vida, fica pronto para aceitar a morte.”

 

“O estado proíbe ao indivíduo a prática de atos infratores, não porque deseje aboli-los, mas sim porque quer monopolizá-los.”

 

“A ciência não é uma ilusão, mas seria uma ilusão acreditar que poderemos encontrar noutro lugar o que ela não nos pode dar.”

 

“A nossa civilização é em grande parte responsável pelas nossas desgraças. Seríamos muito mais felizes se a abandonássemos e retornássemos às condições primitivas.”

 

“Eduque-o como quiser; de qualquer maneira há-de educá-lo mal.”

Conheça-o

Sigmund FreudSigmund Schlomo Freud nasceu na cidade de Freiburg, que pertencia à Áustria, em 1856. Ele era um neurologista especializado em tratamentos para doentes mentais, e criou uma nova teoria. Tratando os pacientes com histeria através da hipnose, Freud estabeleceu que a razão de vários males era psicológica e não orgânica, sendo as pessoas doentes, aquelas que não desabafavam, ou, não expunham seus sentimentos.

Estudando o inconsciente, o brilhante médico deixou de usar a hipnose e passou a aplicar a técnica de interpretação dos sonhos de seus pacientes e livre associação, quando seus pacientes falavam a primeira coisa que lhes surgia à mente. Freud foi elaborando teorias e aprofundando seus estudos, conseguindo a cura de diversas doenças e transtornos psicológicos de seus pacientes ao instigá-los a colocar sentimentos reprimidos para fora. Criando, assim, a psicanálise!

Um pouco da historia de Freud

Quando ele tinha quatro anos de idade, a  família de Freud transferiu-se para Viena, onde morou até 1938, quando da vinda do nazismo, precisou se refugiar na Inglaterra, já que eram judeus. Nesses tempos de nazismo, Freud perdeu quatro irmãs, que foram impedidas de sair do país e acabaram morrendo em campos de concentração.

Os primeiros anos da vida de Freud não são muito conhecidos, apenas sabe-se que ele era um excelente aluno, mas, por ser judeu, só poderia optar entre os cursos de Direito ou Medicina e escolheu o último.

Seus estudos universitários iniciam-se aos dezessete anos e levam surpreendentes oito anos para serem concluídos, de acordo com registros, ele talvez não tenha se dedicado tanto à faculdade de medicina e conclui o curso satisfatoriamente, mas sem distinções.

Em 1877, vai trabalhar em um laboratório onde uma de suas atribuições é estudar a anatomia e histologia do cérebro humano, onde identifica semelhanças entre o cérebro humano e os dos répteis e também o aproxima do, então recente estudo de Charles Darwin, sobre a evolução das espécies e sobre a superioridade dos humanos sobre outras espécies.

Quando conhece sua futura esposa, Martha Bernays, com quem deseja se casar e, por conta do baixo salário e poucas perspectivas na área de pesquisa, passa a trabalhar no principal hospital de Viena. No hospital, vive algumas decepções com o uso terapêutico da cocaína, perde um amigo com overdose e recebe uma licença, viajando para a França e passando a trabalhar com Charcot, um importante psiquiatra que estudava histeria.

Volta ao Hospital Geral, onde passa a atender, entusiasticamente, pacientes, em sua maioria senhoras judias, com sintomas aparentemente neurológicos, que eram tratados com:

  • massagens,
  • repouso
  • e hipnose, naquela época.

Em 1886 Freud e Martha se casam, contando com a ajuda financeira de amigos abastados, incluindo Josef Breuer, colega mais velho da faculdade de medicina, com quem discutia casos clínicos que originaram a publicação dos primeiros estudos sobre a psicanálise.

O primeiro caso refere-se ao tratamento da paciente Bertha Pappenheim, chamada de Anna O. no livro, que possuía sintomas de histeria e esse tratamento foi chamado de “cura pela fala” ou “cura catártica”, onde a paciente fala sobre cada sintoma e acaba fazendo-o desaparecer. Esse foi o ponto das técnicas aplicadas por Freud, que sugeria serem de origem sexual os sintomas da histeria. Como Breuer não concordava com essa última parte, ambos se separaram logo após a publicação dos estudos.

Após a morte de seu pai, Freud passa a analisar seus próprios sonhos e a origem de suas neuroses, concluindo, então, que a razão era uma atração por sua mãe e uma hostilidade por seu pai, o famoso “Complexo de Édipo”, e esta auto-análise foi a base para a publicação do livro “A Interpretação dos Sonhos”.

As primeiras publicações não são muito animadoras, mas, com o passar do tempo, vários médicos de diversos lugares passam a seguir suas teorias.

Freud e Martha tiveram seis filhos, uma delas se tornou também psicanalista. Freud viveu de maneira modesta durante toda sua vida e faleceu, aos 83 anos de idade, após 33 cirurgias, com cancro do palato. Existe uma suposição de que teria pedido ao médico que lhe aplicasse uma dose excessiva de morfina para acabar com o sofrimento, já que sentia muita dor.

A criação da psicanálise

Com o avanço de seus estudos, Freud foi aplicando técnicas inéditas no tratamento das psicopatologias, conversando com seus pacientes, incentivando-os a falarem sobre determinados assuntos que os mantinham reprimidos ou até esquecidos, após muito tempo e, então, passou a chamar esse seu novo método de PSICANÁLISE, a análise psicológica da mente subconsciente.

A livre associação de ideias e a interpretação dos sonhos dos pacientes, lhe deram a certeza de que o desejo sexual era a força motivacional primária para nós, humanos e, assim, em suas interpretações, o desejo inconsciente sempre transparecia. O sexo era considerado por ele uma das experiências mais reprimidas do ser humano e, por isso, ele responsabilizava a repressão da sociedade, que não permitia a satisfação sexual por considerá-la uma coisa feia ou errada, do ponto de vista social e, principalmente, religioso.

Àquela época, suas ideias chocaram a sociedade, causando grande escândalo na Viena de então. Mas, outros psicólogos passaram a adotar suas ideias e confirmaram suas teorias, entre eles, Carl Jung, que tornou-se um dos grandes nomes da psicologia, tendo muitos adeptos e seguidores de suas ideias.

Freud também é conhecido por suas teorias dos mecanismos de defesa e repressão psicológica, tendo escrito diversos livros, que são, ainda hoje, objetos de estudos.

Algumas obras: “Psicologia da Vida Cotidiana”, “Totem e Tabu”, “A interpretação dos sonhos”, “O Ego e o Id” e muitos outros.