Dysport, principal concorrente do Botox


Dysport

O Botox é uma das opções mais procuradas na busca pelo rejuvenescimento facial, já que apenas uma leve picada tem o poder de eliminar uma ruga e prevenir o aparecimento de outras, devido à sua ação nos músculos da face, causando um relaxamento na região. O Dysport é considerado seu mais novo rival, já que também é uma toxina botulínica, produzida por uma bactéria e tem os mesmos efeitos e mesma aplicação.

As diferenças entre as duas marcas são poucas

  • a toxina Botox é americana e foi a primeira marca de toxina botulínica a ser aprovada para uso estético e por isso se tornou mais conhecida, inclusive aqui no Brasil;
  • a Dysport é produzida na Suécia e é mais moderna, tendo sido considerada de efeito mais prolongado que seu antigo concorrente por pesquisa realizada.

As áreas em que mais se aplicam a toxina botulínica são entre as sobrancelhas, ao redor dos olhos,  linhas de expressão horizontais na testa, os pés de galinha no canto externo dos olhos, a marca do sorriso e bandas musculares na frente do pescoço. Alguns destes problemas são hereditários e todos são sinais de envelhecimento.

Além da área estética, a medicina também faz uso da toxina botulínica para corrigir a visão dupla por problemas dos músculos responsáveis e também para melhorar problemas de espasmo de músculos faciais.

Os efeitos das aplicações de toxina botulínica duram em média seis meses, quando pode ser reaplicada. Após várias aplicações, os efeitos tendem a durar mais tempo, se prolongando a medida em que for sendo feito continuamente e sendo necessárias menos aplicações no futuro. Essa duração varia de paciente para paciente e pode ser mais duradoura em pacientes acima de sessenta e cinco anos de idade.