Doença de Chagas – transmissão, sintomas, tratamento e prevenção

O que é?

Carlos Chagas

Carlos Justiniano Ribeiro Chagas foi um médico sanitarista, cientista e bacteriologista brasileiro, que trabalhou como clínico e pesquisador.

O Mal de chagas, como também é conhecido, tem esse nome por causa do pesquisador Carlos Chagas, que foi quem primeiro a descreveu, em 1909. Esta doença é infecciosa e transmitida por um inseto conhecido popularmente por barbeiro e, em certas regiões também por chupão, que se alimenta do sangue de diversos animais vertebrados, inclusive humanos.

BarbeiroQuando suga o sangue contaminado de algum animal, carrega consigo o protozoário da doença (Tripanosoma cruzi, _ que recebeu esse nome do seu descobridor, em homenagem a Osvaldo Cruz) e, quando for se alimentar novamente, como tem o hábito de defecar após a refeição, ao coçar o local da picada, a pessoa fará com que o parasita que está nas fezes, penetre na sua pele.

Outras formas de contaminação: transfusão de sangue ou de mãe infectada para filho na gravidez, além da forma oral, por ingestão acidental do inseto moído (foram relatados casos de pessoas que beberam caldo de cana ou açaí moído e se contaminaram).

Sintomas

Febre altaEm alguns casos, pode se apresentar de forma assintomática, levando até anos para manifestar sintomas, mas, geralmente, na fase aguda, há febre, dor ganglionar, falta de apetite e mal-estar, também pode ocorrer inchaço ocular e aumento do fígado ou baço.

Em fases crônicas, a doença pode provocar o aumento de órgãos de forma irreversível (principalmente coração e cérebro), além de comprometimento da digestão e, muitas vezes, somente nessa fase que é percebida pelo paciente, mesmo que ele tenha sido contaminado há muito tempo. Algumas pessoas passam a vida sem manifestar a doença.

Exames de sangue são as formas de diagnosticar a doença. A microscopia, que busca o parasita no sangue coletado, ou testes sorológicos para identificar os anticorpos no sangue.

Tratamentos

Tratamentos contra o Mal de ChagasSó são satisfatórios na fase aguda, quando o protozoário ainda está presente no sangue. Nos casos crônicos, apenas os sintomas são controlados para que não haja complicações.

Nos casos iniciais diagnosticados, dois medicamentos costumam ser indicados, apesar dos muitos efeitos colaterais e pouca tolerância por adultos: o Benzonidazol e o Nifurtimox. Sendo o Benzonidazol produzido no Brasil e o principal medicamento utilizado, há diversas pesquisas em andamento com o objetivo de desenvolver um medicamento verdadeiramente eficaz no combate à doença e que cause menos efeitos colaterais.  Algumas instituições que desenvolvem pesquisas e empenham seus esforços  nessa busca:

Prevenção

Esse é um caso em que a prevenção é muito melhor do que o remédio! O inseto responsável por essa doença vive em lugares como frestas de casas de taipa, troncos de árvores, colchões ou em entulhos, por isso, a eliminação desses focos é imprescindível para evitar a doença.

Recomendar:

Comentários

Sobre o autor

Redação

SiteTwitterFacebook