Déficit de atenção e Hiperatividade: o que é? sintomas e tratamentos


Déficit de atenção e Hiperatividade: o que é? sintomas e tratamentos

Foto: Reprodução

Conhecido como TDAH, o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, como o próprio nome já diz, é um transtorno neurobiológico crônico, que na maioria das vezes tem origem genética. É caracterizado pela hiperatividade, desatenção e impulsividade, fatores que podem chegar a causar problemas tanto para si mesmo como à sociedade. Apesar de parecer algo raro, é registrado que cerca de 5% das crianças que estão em fase escolar apresentam essa síndrome, sendo que até 50% desses casos persistem até à fase adulta.

Características

Os portadores do TDAH apresentam uma diminuição na quantidade dos neurotransmissores dopamina e noradrenalina. Isso faz com que a atividade do córtex pré-frontal também diminua.

Como dito anteriormente, esse transtorno é caracterizado por um comportamento de inquietude, impulsividade e desatenção frequentes, o que pode acontecer em no mínimo três contextos distintos: casa, escola e trabalho. De acordo com o volume IV do DSM (Dicionário de Saúde Mental), o TDAH pode ser subdividido em três tipos:

  • TDAH com o predomínio de hiperatividade e/ou impulsividade;
  • TDAH com o predomínio de desatenção;
  • TDAH combinado.

Sintomas e Diagnóstico do Déficit de atenção e Hiperatividade

O diagnóstico do TDAH só deve ser feito por um profissional especializado no assunto, utilizando-se de uma avaliação clínica, tomando como base o histórico de vida do indivíduo. No caso onde o paciente é adulto, é muito importante que o cônjuge ou pessoas próximas colaborem, facilitando o tratamento. No caso de crianças e adolescentes, o diagnóstico deve ser acompanhado pelos pais ou responsáveis.

Independentemente da idade do indivíduo, a avaliação é feita desde a infância até a idade atual, já que esse transtorno é um problema crônico, que acompanha o portador desde o nascimento.

Os sintomas mais comuns em adultos são os seguintes:

  • Cometer erros frequentemente por conta da distração, mesmo que haja um domínio perfeito do assunto.
  • Dificuldade em conter certos tipos de comportamento, como por exemplo, falar coisas sem antes pensar se são adequadas ou não para aquele momento.
  • Se distrair com frequência com problemas de pouca importância, sempre deixando os mais importantes em segundo plano.
  • Desorganização, tanto em relação às tarefas do dia a dia, quanto ao tempo (na maioria das vezes nunca consegue chegar no horário certo no trabalho, escola ou compromisso).
  • Falta de foco, que faz com que largue qualquer atividade que esteja realizando e imediatamente passe para outra.
  • Muda bastante de humor;
  • Impaciência, estresse e ansiedade aparecem com frequência.

Se não tratado, o TDAH em adultos pode levar à depressão, bipolaridade, excesso de dívidas, uso de drogas, desenvolvimento de um TOC, entre outros problemas que podem atrapalhar seu convívio social.

No caso das crianças e adolescentes, os principais sintomas são:

Existem dois tipos desse transtorno:

  • Hiperatividade e impulsividade: não conseguem parar quietos em um lugar (ou cadeira, no caso da escola), saem com frequência da sala de aula, atrapalham o professor e os colegas. Em casa, não conseguem de forma alguma sentar e fazer os exercícios até o final e não há concentração em nada que estejam fazendo.
  • Desatenção: ao contrário do anterior, são extremamente calmos e aparentemente sempre prestam atenção na aula, entretanto, seus pensamentos estão em coisas totalmente diferentes, como se estivesse literalmente “viajando”. A mesma coisa acontece dentro de casa. Na maioria das vezes, esse é o tipo mais difícil de ser diagnosticado.

Apesar de apresentarem comportamentos distintos, existem algumas características em comum entre os dois tipos:

  • Desorganização;
  • Dificuldade em relacionar-se com outras pessoas;
  • Vício em games;
  • Alterações de peso: ou muito obesos, ou muito magros;
  • Irritabilidade e rebeldia quando algo não ocorre como querem.

Tratamento

Após ser feito o diagnóstico por um médico especializado e que possua um conhecimento aprofundado do TDAH, o tratamento (tanto para a criança, como para o adulto) é feito através de psicoterapia estrutural e organizadora.