Coqueluche: o que é? Causas, sintomas, prevenção e tratamento

Coqueluche

O que é?

Doença altamente contagiosa, caracterizada por tosse forte. Apesar de existir vacinas, a coqueluche ainda mata, em todo o mundo, anualmente, cerca de 300 mil pessoas. Sendo as crianças pequenas suas principais vítimas, ou por não terem sido vacinadas ou por terem recebido vacinação incompleta (são necessárias três doses da vacina para proteção completa).

Sintomas da Coqueluche

Geralmente após dois dias de incubação, os sintomas são: infecção respiratória moderada, tosse, espirro e nariz escorrendo. Esta é a fase catarral, quando os sintomas se confundem com uma gripe e é nessa fase que a doença é mais contagiosa. Após duas semanas, na fase aguda, ou estágio paroxistico, a tosse torna-se mais forte, seguindo-se de sons ao inspirar (como se fosse um “silvo”). Os acessos de tosse podem ser seguidos de vômitos, que dificultam para beber, comer e respirar. Esses acessos são mais comuns à noite. As crises podem durar até seis semanas, sendo mais fortes nas duas primeiras. Bebês com seis meses ou menos, são quem mais apresentam formas graves da doença, podendo apresentar desidratação, além das complicações da doença que incluem ainda: encefalite, pneumonia, hipertensão pulmonar e super infecção bacteriana secundária.

Após seis semanas, inicia-se o período da convalescença, quando a tosse começa a aliviar, mas ainda permanece por mais um mês.

Tratamento da Coqueluche

O tratamento é feito com antibióticos específicos. Se o paciente for criança pequena, há a internação hospitalar para ajudar na hidratação e alimentação.  Antibióticos contra bordetella pertussis, administrados precocemente, diminuem o tempo da doença e a transmissão. É aconselhável a profilaxia com antibióticos em todos os familiares que estiveram em contato com o doente nos 21 dias que antecederam os sintomas.

Prevenção

O contágio se dá através de contato com gotículas de saliva, expelidas na tosse, no espirro ou ao falar. Principalmente quando há o contato entre pessoa infectada e pessoas que não foram vacinadas ou não totalmente protegidas. Além disso, as mãos, que estão em contato constante com nariz e boca, tornam-se agentes importantes na transmissão.

A principal maneira de prevenir a doença é mesmo a vacinação!

Vale a pena evitar sempre os locais superlotados, sem ventilação, o que propicia a transmissão de doenças pelo ar. Sem esquecer a regra básica da prevenção de todos os tipos de doenças:

LAVAR MUITO BEM AS MÃOS SEMPRE!

Vacinação no Brasil

São indicadas cinco doses da vacina Tríplice DTP (contra Difteria, Tétano e Pertussis Coqueluche) a serem dadas nos 2º, 4º e 6º meses, com doses de reforço no 15º mês e aos quatro anos de idade. Alguns médicos também indicam uma dose da vacina aos onze anos de idade, devido ao aumento de incidência da doença entre adolescentes e adultos.

Recomendar:

Comentários

Sobre o autor

Daiane Silva

SiteTwitterFacebook