O Dia de São Silvestre

Conheça a história do 33º Papa e por que ele ganhou um dia em sua referência

O dia de São Silvestre é comemorado em 31 de dezembro. A data relembra o dia da morte do 33º Papa no ano 335, aos 50 anos. O religioso era considerado piedoso, porém discreto e muito envolvido com os assuntos imperiais.

O papado de São Silvestre ocorreu de 31 de janeiro de 314 até 31 de dezembro de 335 e sucedeu o de São Melquíades. Silvestre conviveu lado a lado com o imperador Constantino I, que ordenou o fim à caçada dos cristãos.

Realizações de São Silvestre

Sob os cuidados do Papa São Silvestre, a Igreja Católica Apostólica Romana deu passos importantes, afinal, era a primeira vez que o governo não perseguia os que acreditavam em Cristo. Por conta disso, alguns avanços foram conquistados.

O dia de São Silvestre é comemorado em 31 de dezembro

A data lembra a dia da morte do papa Silvestre I (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

Foi durante o seu pontificado que a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém foi construída, bem como as basílicas de Roma de São João de Latrão e São Pedro, além das dos Santos Apóstolos em Constantinopla. Silvestre I também acompanhou à distância o sínodo de Arles, no ano de 314, o Primeiro Concílio de Niceia em 325.

Relação de São Silvestre com Constantino

São Silvestre é considerado um homem sábio, pois na sua época o imperador estava acima de qualquer homem. Ele se metia em qualquer assunto, inclusive os religiosos e civis.

O que deixava São Silvestre em uma posição delicada, pois não poderia muito se opor ao imperador, uma vez que os cristãos acabavam de ser libertos de tantas perseguições.

Veja também: Corrida de São Silvestre: distância, percurso e origem

O site da Canção Nova traz uma reflexão a respeito da postura por ora conivente de Silvestre com relação aos desmandos do imperador. “E talvez São Silvestre, na sua simplicidade, tivesse sido o Papa ideal para a circunstância. Outro Papa mais exigente, mais cioso da sua autoridade, teria irritado a megalomania de Constantino, perdendo a sua proteção”.

A análise vai ainda mais além e divaga sobre os sentimentos do então papa. “Ainda estava muito viva a lembrança dos horrores por que passara a Igreja no reinado de Diocleciano, e São Silvestre, testemunha dessa perseguição que ameaçou subverter por completo a Igreja, terá preferido agradecer este dom inesperado da proteção imperial e agir com moderação e prudência”.

Construções de basílicas e igrejas

O palácio imperial de Latrão se tornou residência do papa Silvestre I

Foi durante seu pontificado que a basílica de Roma de São João de Latrão foi erguida (Foto: depositphotos)

São Silvestre também tratou de questões religiosas. Em 316, ele discutiu o donatismo, doutrina religiosa fundada por Donato, bispo de Cartago, que denunciava o tratamento severo para os cristãos que haviam fraquejado durante a perseguição do imperador romano Diocleciano.

Veja também: Sonhar com santo

Ele também enfrentou a doutrina de Ario, sacerdote alexandrino, que se fundamentava na negativa da divindade de Jesus e, por conseguinte, do mistério da Santíssima Trindade. A fim da discussão deu origem ao Credo, onde a Santíssima Trindade é exaltada.

Em 330, Constantino inaugura Constantinopla, a que seria a nova capital do Império. Nessa época, São Silvestre recebe do imperador a Domus Faustae, Casa de Fausta ou palácio imperial de Latrão, que se tornou residência papal.

No mesmo espaço foi erguida a grandiosa basílica de cinco naves, dedicada a Cristo Salvador, e depois as igrejas de S. João Batista e S. João Evangelista.

Veja também: Orações à Santo Expedito

Sobre o autor

Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.