Mitos e verdades sobre a cerveja

A cerveja é uma das bebidas alcoólicas mais consumidas do mundo. Conheça melhor

Você sabe todos os mitos e verdades sobre a cerveja? Que a bebida é uma paixão nacional isso é indiscutível, mas mesmo assim nem sempre as pessoas sabem tudo sobre ela e isso faz com que vários mitos sejam propagados. Especialmente quando se trata de falar sobre os vários tipos, cores e sabores que podem ser encontrados em diversas partes do mundo.

Pensando em uma das paixões nacionais, o Blogodorium preparou um artigo completo explicando os principais mitos e verdades sobre a bebida. Além disso, você vai conhecer um pouco sobre como ela surgiu, quais as variações mais apreciadas e como consumi-la da maneira correta.

Mitos e verdades sobre a cerveja

A cerveja é uma bebida que está presente em quase todas as comemorações. Desde a mesa do bar com os amigos, até em casa em um momento mais íntimo com a família.

Contudo, no meio disso tudo vários boatos surgem sobre essa bebida que já foi considerada um nutritivo alimento. Na maioria das vezes esses mitos são inofensivos, mas em alguns casos podem acabar atrapalhando o sabor da bebida.

Copos cheios de cerveja

O copo ideal para tomar cerveja é do tipo tulipa (Foto: depositphotos)

1- Cerveja é sinônimo de amargor?

Mito. Nem todo tipo de cerveja é amarga, já que isso depende de diversos fatores utilizados no preparo. Como os ingredientes, tipo e tempo de fermentação. Desse modo, existem cervejas que possuem um sabor mais delicado e adocicado naturalmente.

2- Quanto mais escura a cerveja, mais forte ela é

Mito. A cor da cerveja é derivada do tipo de malte que é utilizado na receita. Por exemplo, quando a torra do material é mais intensa, isso acaba produzindo cervejas com um tom mais escuro.

Por isso muitas pessoas acreditam que as cervejas vermelhas, marrons ou pretas são mais fortes. Contudo, esse aspecto algumas vezes é só visível, já que existem cervejas em tons escuros que possuem um sabor mais refrescante. Enquanto algumas de tom claro são encorpadas. Tudo isso depende do modo de preparo, qualidade e mistura dos ingredientes usados.

3- Existem diferenças entre chope e cerveja

Verdade. Mesmo que as duas bebidas tenham a mesma origem, elas possuem diferenças derivadas principalmente pelo modo de armazenamento. Ou seja, ambas são produzidas da mesma forma e utilizando os mesmos materiais.

Contudo a cerveja é pasteurizada. Isso é um processo rápido de aquecimento que serve para eliminar micro-organismos, fazendo com que ela dure mais. Já o chope não, o que faz ele ser mais calórico, fresco e aromático.

Veja também: Sonhar com cerveja

4- A qualidade dos ingredientes influencia no sabor

Verdade. A qualidade dos ingredientes usados no preparo é um fator decisivo para o sabor final da cerveja. Sendo que até mesmo a água usada deve ser pensada cuidadosamente, passando muitas vezes por processos químicos que auxiliam na produção de diferentes tipos de cerveja.

5- A luz deteriora a cerveja

Verdade. A exposição à luz, principalmente a do sol, faz com que muito dos aspectos da cerveja sejam perdidos. Por isso, o indicado é que ela seja armazenada em garrafas escuras, já que essas ajudam a proteger o líquido em seu interior.

Por isso, quando for escolher cerveja opte sempre pelas que são armazenadas em garrafas de cor âmbar. Em casa, sempre as guarde em um local com temperatura constante e com pouca incidência de luz.

6- A cerveja é mais calórica que outras bebidas

Mito. De maneira geral a cerveja costuma ser uma bebida pouco calórica, dependendo do método de produção. Além disso, o teor alcoólico também influencia diretamente na quantidade de calorias presentes nela.

Esse mito é muito influenciado pela expressão popular “barriga de chope”. Contudo, o ganho de peso está mais associado a uma dieta rica em gordura e outros alimentos calóricos, além da falta de exercícios físicos.

Desse modo, a indicação para quem está preocupado em manter o peso é optar por cervejas mais leves e dar preferências a petiscos mais saudáveis para acompanhá-la.

7- O copo não influencia no sabor final

Mito. O tipo de copo influencia sim no sabor da cerveja, por isso existe um mais indicado para cada variedade. O que acontece é que os modelos de copo funcionam para valorizar as características de cada bebida, ajudando também a oxigenar o líquido no interior.

Uma dica para quem não quer gastar dinheiro comprando vários modelos de copo é beber a cerveja em uma taça de vinho branco. Já que o formato ajuda a apreciar melhor os aromas.

8- A cerveja deitada fica gelada mais rápido

Mito. O modo de guardar a cerveja não influencia no tempo que ela leva para ficar gelada. No entanto, é indicado que elas sejam armazenadas em pé, já que isso diminui a superfície do líquido que está em contato com o ar e diminui a degradação.

9- A cerveja nem sempre é translúcida

Verdade. Muita gente acredita que as cervejas sempre devem ser translúcidas. Ou seja, que possuem uma certa transparência. No entanto, isso não é verdade e depende principalmente do tipo de bebida escolhido.

Isso porque existem variedades que são mais turvas e isso é perfeitamente normal. Entre elas estão os estilos Weizenbier, Witbier e Dubbel, sendo que isso é decorrente dos métodos de produção que são utilizados.

10- Cerveja só presta bem gelada

Mito. Uma ideia muito difundida no Brasil, principalmente por conta das altas temperaturas na maior parte do ano, é que cerveja só deve ser bebida bem gelada. Isso é um mito. Em primeiro lugar porque baixas temperaturas podem adormecer as papilas gustativas, fazendo com que o sabor não seja tão bem apreciado. De maneira geral é indicado que as cervejas sejam consumidas na chamada temperatura de adega, que fica entre 12º e 16º C.

Já as mais fortes podem ser bebidas mais geladas, mas no mínimo em uma temperatura de 7º C. Por isso, mesmo que esteja muito calor evite tomar a bebida muito gelada e aproveite melhor os aromas e sabores dela.

Qual a origem da cerveja?

Ao contrário do que muita gente acredita a cerveja não nasceu durante a idade média. A história da bebida se funde com a do desenvolvimento da agricultura e da sociedade.

Acredita-se que a cerveja tenha surgido há cerca de 10 mil anos na região da mesopotâmia. O crédito é dado aos sumérios, que viviam próximos aos rios Tigre e Eufrates, local onde se estabeleceram as primeiras comunidades humanas.

Veja também: Cerveja: origem/história e tipos desta bebida

Os sumérios davam tanto valor a bebida que acreditavam que ela teria sido entregue pelos deuses. A bebida, de início, era produzida exclusivamente por mulheres, que também eram sacerdotisas.

Taças com cerveja

Existem mais de 100 variedades de cerveja em todo o mundo e para todos os gostos (Foto: depositphotos)

O hábito por consumir o resultado de grãos fermentados em água perdurou e, durante o império Babilônico, existia até um código que definia uma quantidade mínima diária de cerveja que cada pessoa tinha direito.

Estima-se que nessa época os babilônicos dominavam a arte de produção de cerca de 70 tipos de cerveja. Além disso, o ato de diluir a bebida em água era punido com a morte.

O consumo do líquido se estendeu para outros povos da região, se estabelecendo principalmente no Egito. No local, era costume dar cerveja aos construtores para deixá-los mais relaxados após o trabalho ou ainda como pagamento pelos serviços.

Com a ascensão do império romano, o consumo de cerveja se viu em declínio, já que eles preferiam o vinho. A ascensão do líquido se deu apenas por volta do século 8 antes da era comum, quando povos germânicos resgataram e refinaram o método de produção sumério.

Já por volta do século 7 da era comum, a cerveja passou a ser produzida em monastérios. Se tornando também um alimento para os momentos de jejum religioso. Nesse período, o líquido também foi associado a um maior contato com Deus.

Quais são os principais ingredientes?

A cerveja é feita basicamente de grãos fermentados em água, sendo esta 80% da composição. O cereal mais usado e conhecido é o malte, que nada mais é do que o grão da cevada fermentado e seco.

O malte é usado para ajudar no processo de fermentação e dar o sabor e o aroma característico desse tipo de bebida. No entanto, ele não é o único grão viável. Até porque, desde a antiguidade, é costume que a cerveja seja produzida com os grãos que estão disponíveis no local de preparo.

Por isso, é bastante comum que o malte seja misturado com trigo, aveia, milho e até mesmo arroz durante o processo de fermentação. Cada um desses ingredientes também alteram o sabor final, produzindo bebidas mais leves ou mais encorpadas.

Outro ingrediente da cerveja é um lúpulo. Essa é uma planta trepadeira que é a responsável pelo amargor e ainda protege o líquido contra a ação de micro-organismos prejudiciais.

Por fim, um ingrediente essencial para a produção de qualquer cerveja é a levedura. Elas são fungos que atuam para a produção do álcool e gás carbônico. Para isso, elas se alimentam dos açúcares presentes nos grãos utilizados.

Como ela é preparada?

Assim como o vinho, a cerveja é preparada através de um processo de fermentação. Para isso são misturado todos os ingredientes moídos, exceto a levedura. Quais serão usados e a quantidade muda de acordo com o tipo escolhido.

Logo depois a mistura é cozida e resfriada, para então ser adicionada a levedura. Não se coloca a levedura no líquido quente, já que o calor mata os fungos e impede o desenvolvimento da cerveja.

A mistura então é colocada em tanques para que se dê início o processo de fermentação. Durante esse período os fungos comem os açúcares e liberam gás carbônico e álcool.

Após o processo de fermentação, que pode durar até dez dias, o líquido passa por um novo período de resfriamento e filtragem. O último processo antes de seguir para a comercialização é a degustação, para garantir a qualidade e que todos os sabores e aromas característicos estão presentes.

Veja também: Como calcular a quantidade de bebidas para uma festa?

Variedades da cerveja pelo mundo

Em todo o mundo existem diversos tipos de cervejas. As variações dependem da qualidade, quantidade e até mesmo quais ingredientes são usados na sua preparação.

A maioria delas, no entanto, são divididas em dois grandes grupos. Esses grupos são definidos de acordo com o tipo de levedura que é utilizado durante a fabricação, já que a escolha influencia diretamente no sabor do produto.

Ale

O primeiro grupo ou família é a Ale, chamado também de alta fermentação. Para as cervejas desse tipo são usadas leveduras que se adaptam melhor às altas temperaturas e por isso ficam na parte superior dos tanques.

Geralmente esse tipo de cerveja possui mais aroma e sabores. Possuindo também toques de frutas e condimentos e diversas variedades e tons, podendo então partir do amarelo pálido até o preto.

Lager

A segunda família de cerveja são chamadas de Lager. Para essas são utilizadas leveduras que gostam de ambientes mais frios. Por isso elas ficam mais próximas ao fundo do tanque, sendo também conhecidas como de baixa fermentação.

De maneira geral essa família de bebida tem aromas mais fortes das matérias usadas na fabricação, como o malte, por exemplo. Dividido entre esses dois tipos existem mais de 100 variedades de cerveja em todo o mundo e para todos os gostos.

Onde a bebida é mais consumida?

A cerveja é uma das bebidas favoritas dos brasileiros, no entanto o país não aparece na lista dos países que mais consomem a bebida no mundo.

Um estudo realizado em 2018 pela agência Statista mostrou que quem lidera a lista de consumo são os habitantes da República Checa. Em 2017, cada pessoa consumiu em média 138 litros de cerveja durante o ano.

O segundo país da lista, Polônia, teve um consumo médio de 98 litros por ano para cada pessoa. A Alemanha, país conhecido pela longa tradição cervejeira, apareceu em terceiro lugar, com 95,95 litros por habitante.

A lista, que é dominada por países do leste europeu, conta ainda com os Estados Unidos e a Austrália, que aparecem em 12º e 13º lugar respectivamente.

Existe maneira correta de tomar cerveja?

Você viu neste artigo 10 mitos e verdades sobre a cerveja e que alguns deles podem prejudicar a degustação dessa bebida. Desse modo, existem alguns cuidados que se deve tomar para apreciar de maneira correta o líquido.

O primeiro de tudo é a temperatura. Por isso você deve evitar consumir a cerveja muito gelada, optando sempre por uma temperatura de adega ou de acordo com o tipo escolhido.

Outro ponto, como já foi dito, é a escolha do copo ideal. Um bastante indicado é o tulipa, que ajuda a manter a temperatura constante por mais tempo. Por fim, beba com moderação e devagar, para assim apreciar todos os elementos presentes em uma boa cerveja.

Sobre o autor

Jornalista com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio (Mtb-PE: 6770). Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.