Tipos de anemia


Tipos de anemia

Imagem: Reprodução

O que é a anemia?

A Anemia é uma doença que consiste na redução da capacidade do sangue de transportar oxigênio para os tecidos do corpo (e essa falta de oxigênio nos órgãos é chamada de Hipóxia). Ela pode ter como causa a redução de eritrócitos (as hemácias) ou a redução de hemoglobina. E apesar de ser uma doença um pouco comum, muita gente não sabe de suas consequências caso não seja devidamente tratada, como problemas cardíacos, propensão a infecções, dores no peito, etc. Em casos mais complicados, caso a anemia seja do tipo mais grave e raro, ela pode desenvolver a leucemia.

Os sintomas mais comuns da anemia (independente do seu tipo) são:

  • Cansaço, fraqueza e indisposição (fadiga).
  • Memória fraca e dificuldade de concentração.
  • Problemas respiratórios.
  • Batimentos cardíacos irregulares e/ou acelerados demais.
  • Palidez notável.
  • Problemas com a menstruação.
  • Distúrbios de apetite – principalmente a falta dele.
  • Mal estar frequente, tontura e náuseas.

Contudo, esses não são os únicos sintomas da anemia, já que esta doença não possui apenas um tipo, são vários, e cada um deles têm sintomas próprios. É preciso realizar exames específicos para descobrir o tipo exato de anemia que o paciente tem.

Tipos de Anemia

A anemia pode ser aguda ou crônica, adquirida ou hereditária. As agudas são caracterizadas pela perda expressiva e acelerada de sangue, enquanto as crônicas são provocadas por doenças de base, sendo algumas hereditárias. As adquiridas ocorrem por deficiência nutricional, complicações na gestação, deficiência de ferro, carência de vitamina B12 ou de ácido fólico. Os tipos são:

  • Anemia ferropriva/ferropénica/sideropénica: É considerada o tipo de anemia mais comum, causada pela deficiência de ferro, um dos principais constituintes da hemoglobina. O tratamento é considerado simples, basta ingerir ferro (por sulfato, gluconato, fumarato ou succinato; em casos mais graves, injeção pela via muscular ou intravenosa) e dura de poucas a semanas a 6 meses, geralmente.
  • Anemia megaloblástica: Esta é causada pela carência das vitaminas do complexo B e de ácido fólico, o que ocasiona no tamanho anormal e imaturidade das hemácias, e na diminuição de leucócitos e plaquetas. O tratamento é o mesmo da ferropriva: reposição daquilo que está em falta, no caso, as vitaminas e o ácido fólico.
  • Anemia hemolítica/aplástica: É provocada pela redução drástica dos glóbulos vermelhos que transitam pela corrente sanguínea. Esta é um pouco mais complicada que as duas primeiras, mas pode ser tratada por meio de medicamentos, nos casos mais leves, e/ou cirurgia, se for mais grave.
  • Anemia falciforme: Esta anemia é hereditária e caracterizada pela malformação das hemácias, que adotam formas semelhantes a foices, o que causa deficiência no transporte de oxigênio. Ela reduz a expectativa de vida do doente e infelizmente possui um único meio de ser tratada: transplante de medula óssea, que não é algo comum ou sequer totalmente acessível.
  • Anemia de Cooley: É hereditária e resulta na redução da taxa de síntese de uma das cadeias de globina, o que causa a formação de moléculas de hemoglobina anormais. É grave e não existe cura, mas pode ser controlada caso não seja muito avançada.