Informações sobre a história do Hipismo


Hipismo

A arte de montar a cavalo que compreende todas as práticas desportivas que envolvam este animal é chamada hipismo. Além de ser compreendido como arte, o hipismo pode ser também considerado uma atividade de lazer ou esporte. Este último surgiu no século XIX, inspirado no hábito britânico de caçar raposas. Como esporte, é uma competição em que vários cavaleiros apresentam suas habilidades em provas de velocidade, adestramento e perícia, sendo consideradas para avaliação a harmonia, precisão e resistência do cavaleiro com seu cavalo. É um esporte que exige muita força e resistência, além de habilidades intelectuais, poder decisivo e paciência. A prática do hipismo melhora o equilíbrio, a postura, a resistência aeróbica, a coordenação motora e regula a pressão arterial, vale acrescentar na cota de benefícios da atividade as melhoras psicológicas, como a rapidez de reflexos, desenvolve a percepção de si, aperfeiçoa a autoconfiança, etc.

História do hipismo no Brasil

A prática do hipismo existe desde a Idade Média, entretanto as regras e competições surgiram em 1883 nos Estados Unidos. No Brasil, a primeira competição hípica foi o Torneio de Cavalaria realizado em abril de 1641 onde hoje é localizada a capital pernambucana, Recife. O hipismo foi introduzido em terras brasileiras pelo conhecido Maurício de Nassau, mas somente em meados do século XIX as corridas passaram a ser disputadas oficialmente com a criação do Clube de Corridas presidido pelo Duque de Caxias.

Até os dias atuais, a regulamentação, coordenação, promoção e fomento das oito modalidades dos esportes hípicos praticados no Brasil, são presididos pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), fundada em 19 de dezembro de 1941. Abaixo, conheça as oito modalidades hípicas praticadas no Brasil:

  • Adestramento;
  • Atrelagem;
  • Concurso Completo de Equitação;
  • Enduro;
  • Equitação Especial (Paraequestre);
  • Rédeas;
  • Volteio;
  • Salto.

Provas Olímpicas

  • Adestramento: Cavaleiro e cavalo deverão realizar uma série de movimentos (figuras) de diferentes graus de dificuldade, alguns são obrigatórios. O objetivo é que essas figuras sejam executadas com a maior perfeição possível. Os juízes atribuem notas nos quesitos: disciplina, elegância e prontidão, exigindo perfeita sintonia entre o animal e seu cavaleiro.
  • Saltos: Cavaleiro e seu cavalo devem transpor de 10 a 15 obstáculos ordenados em uma pista que mede entre 700 e 900 metros. O vencedor será o cavaleiro que tiver o menor número de faltas e terminar o percurso mais rápido.
  • Concurso Completo de Equitação (CCE): É considerado um tipo de trialto equestre que reúne provas de adestramento, salto e cross-country. Pode ser disputada em um dia (ODE) ou em três dias (3DE). É uma prova completa, na qual o animal e cavaleiro devem mostrar habilidade em diversas situações.

 

 

Paraolimpíadas

Os Jogos Paraolímpicos são representados apenas pela modalidade de Adestramento. A pista é modificada para oferecer mais segurança aos competidores.

Provas não-olímpicas

  • Enduro: é uma prova de longa distância, entre 80 e 160km, disputadas em etapas chamadas de “aneis”. É colocada à prova a resistência do cavalo.
  • Volteio: Consiste na execução de movimentos de Ginástica Artística sobre o animal em movimento. Utilizando seu impulso a favor do atleta e criando harmonia e ressoância com ele.
  • Rédeas: Busca mostrar que o cavaleiro domina todos os movimentos do animal, valorizando a concentração e harmonia do cavalo com o cavaleiro.
  • Atrelagem: É uma prova de adestramento, maratona e corrida de obstáculos para ser cumprida por uma charrete puxada por um, dois ou quatro cavalos.
  • Pólo: É um esporte praticado por dois times de quatro cavaleiros. O objetivo do jogo é, montado no cavalo, utilizar o taco para acertar a bola entre as balizas marcando mais gols que a equipe adversária.