Herpes labial – tratamentos para esta doença


Herpes Labial

Foto:Reprodução

A herpes labial é uma doença infecciosa que afeta uma grande parcela da população mundial, o que faz com que ela seja vista como algo simples e sem muita importância, entretanto ela é causada pelo Herpes Simplex Vírus (HSV1), um vírus responsável pelo surgimento de lesões e bolhas ao redor da boca do seu portador.

O contato com o HSV1 geralmente ocorre durante a infância, entretanto, sem nenhuma manifestação clínica nessa época. Esse vírus tem a capacidade de passar pela pele até chegar em um nervo, percorrendo-o e se instalando no organismo. Ele fica adormecido por um tempo, podendo ser ativado por uma série de fatores desencadeantes, tais como:

  • Exposição prolongada aos raios do sol;
  • Estresse;
  • Fadiga física e mental;
  • Febre;
  • Infecções que possam diminuir a resistência do organismo.

Enquanto algumas pessoas têm maior possibilidade de apresentarem os sintomas da herpes, outras sequer sentem a presença do vírus durante toda a vida, muitas vezes por terem o sistema imunológico bastante forte.

Como a herpes labial se manifesta

As áreas mais afetadas pelo vírus são os lábios e os órgãos genitais, podendo também se apresentar em qualquer lugar do corpo. As manifestações clínicas mais comuns são:

  • A primeira coisa a se sentir é ardência e coceira no local afetado. Isso é uma prévia para as lesões que estão por vir.
  • Em seguida, aparecem algumas bolhas, que se juntam e formam uma lesão inchada e de cor avermelhada.
  • Essas bolhas tendem a se romper, liberando um líquido riquíssimo no vírus HSV1. Essa é a fase mais perigosa de contaminação da doença.
  • A ferida criada pelo rompimento das bolhas começam a secar, formando uma casquinha e iniciando o processo de cicatrização.
  • A doença pode durar aproximadamente 10 dias, variando de pessoa para pessoa.

Tratamento

O tratamento da herpes labial deve ter a orientação de um médico especializado (dermatologista), pois só ele pode indicar os medicamentos adequados para o seu caso. Dependendo da gravidade da infecção, esses medicamentos podem ser de uso tópico (como pomadas e cremes) ou oral (comprimidos).

Caso a doença volte com frequência, é preciso fortalecer o sistema imunológico, a fim de evitar que ela reapareça. Além disso, é importantíssimo que os fatores desencadeantes da ativação do vírus sejam evitados ao máximo. Dessa forma, você poderá levar uma vida mais saudável e livre da herpes.

Mas se a doença já se manifestou, é preciso tomar alguns cuidados para uma rápida recuperação, são eles:

  • Assim que perceber os primeiros sintomas, vá imediatamente ao médico. Quanto mais cedo o tratamento começar, com menos intensidade o vírus vai agir.
  • Evite furar as bolhas, isso pode deixar cicatrizes e desacelerar o tratamento.
  • Evite beijar ou falar muito próximo a pessoas. Qualquer descuido pode levar o vírus para pessoas ao seu redor.
  • Caso as lesões também tenham afetado as áreas genitais, evite ter relações sexuais.
  • Sempre que manipular as feridas, lave bem as mãos, pois o vírus pode ser transferido com facilidade para mucosas da boca, olhos e genitais.