GH – O Super Hormônio do crescimento!


Peitoral desenvolvido

Todos nós adoramos um “atalho”, uma maneira de conseguir alcançar um resultado de forma rápida.

Mesmo que buscar simplificar as coisas ou acelerar um processo seja uma coisa positiva, quando se trata de nossa saúde, isso se torna perigoso.

GH

Como se sabe, o que realmente tem efeito garantido na redução de peso e melhora do condicionamento físico são os bons hábitos relacionados à alimentação e atividades físicas e, estes, precisam ser modificados gradativamente, com tempo, nada se resolve de uma hora para outra. Mesmo assim, vez ou outra vemos propagandas de produtos “milagrosos” que prometem benefícios que nenhum outro oferece. Há algum tempo, virou febre nas academias, entre os praticantes de esportes e exercícios físicos, o chamado GH (sigla inglesa de Gowth Hormone), que é o hormônio do crescimento.

A ideia era que este hormônio garantiria a queima de gorduras rapidamente , a melhora na performance, aumento da massa muscular e até mesmo combate ao envelhecimento! Ou seja, substância milagrosa mesmo!

Mas, você sabe o que é e como age o hormônio do crescimento?

É importante saber que este hormônio já existe em nosso corpo, é produzido pela pequena glândula hipófise, localizada no centro do cérebro e responsável pela produção de outros hormônios reguladores do corpo. O hormônio do crescimento tem efeito no crescimento longitudinal na infância e adolescência e atua no equilíbrio metabólico durante a fase adulta. Seus níveis são mais elevados durante as primeiras duas décadas de vida e vão diminuindo gradativamente a partir de então e, ao chegar aos setenta anos de idade, a produção cai para menos de 50% do nível das pessoas de trinta anos.

Estudos publicados nos anos noventa comprovaram os benefícios do GH para o aumento do vigor físico e relatavam que a reposição desse hormônio melhorava, significativamente o quadro clínico e a qualidade de vida de PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DE GH. Mesmo variando a cada caso, de modo geral, havia uma melhora da densidade óssea, da composição corporal, do aspecto e espessura da pele, da força muscular, desempenho mental, do perfil  lipídico e da capacidade para o exercício. Assim, surgiu a “brilhante ideia” de levar o GH para as academias e outros círculos de atividades físicas. Vários produtos surgiram, prometendo ser uma espécie de “fonte da juventude” e logo viraram a mania de todos os que desejavam rápidos resultados no emagrecimento, rejuvenecimento, ganho de massa e alta performance.

O problema é que a indicação de reposição do GH deve ser prescrita por médico, após séria avaliação, nos casos em que se apresentem evidências de deficiência na produção do hormônio, como baixa estatura ou síndrome de Turner.

Uma pessoa normal  que faz uso, principalmente prolongado, de GH corre sérios riscos de saúde, tais como: crescimento das extremidades (dedos dos pés e mãos) e retenção de líquidos em caso de altas doses. Se for o uso prolongado, os danos são bem mais graves, pois podem ser desencadeados, além de problemas cardíacos, diabetes e pressão alta, também propensão ao desenvolvimento de vários tipos de câncer. Ou seja, os riscos são maiores do que os benefícios!

O tratamento com o verdadeiro hormônio de crescimento, injetável, é feito com critério e seriedade em centros de pesquisa e clínicas especializadas, avaliando-se cada caso em particular. Segundo os especialistas, a versão injetável é totalmente segura e produzida por engenharia genética, com um hormônio igual ao nosso. Essas injeções são aplicadas de forma subcutânea diariamente, geralmente à noite.

Vale sempre relembrar: A MELHOR FORMA DE CONQUISTAR UM CORPO BONITO E, MELHOR AINDA, SAUDÁVEL, É ATRAVÉS DA REEDUCAÇÃO ALIMENTAR E DE ATIVIDADES FÍSICAS CONSTANTES! Isso ajuda a turbinar o GH natural, pois a gordura corporal, principalmente a que se acumula entre as vísceras, reduz os níveis do hormônio.

É bom ficar bastante atenta e não acreditar em tudo  que se lê por aí, principalmente em propagandas na Internet ( a cada pesquisa, mais resultados de “milagres”!), pois, depois da versão injetável, tiveram a ideia de criar o GH em forma de suplementos alimentares, para quem não encara as agulhas, aí, um comércio enorme se instalou! Sob uma pretensa propriedade de ter GH na Fórmula ou ainda estimular a hipófise a produzi-lo, qualquer desses produtos se apresenta como milagroso, garantindo derreter gordura rapidamente e ganho de músculos, isso ainda com a “vantagem” de não necessitar agulhas e nem receita médica. Em sua maioria, não passam de compostos aminoácidos e sua eficácia para os fins prometidos não tem nenhuma comprovação científica. Portanto, não caia nessa!

6 maneiras de estimular a produção de GH naturalmente

Sim, podemos estimualar a produção desse hormônio em nosso corpo, de forma totalmente natural e saudável! Veja como:

  1. Sono para HipertrofiaQUALIDADE DO SONO: quando privado do sono, você terá baixa na energia, comprometimento na função cerebral e redução nos níveis de GH, portanto, durma de 7 a 9 horas por noite!
  2. EVITE INGERIR CARBOIDRATOS SIMPLES: carboidratos servem para gerar energia em nosso corpo, seja na hora ou acumulados no fígado ou músculos para serem utilizadas depois. Os carboidratos simples causam picos de glicose em nosso sangue e elevam os níveis de insulina, o que tem impacto negativo nos níveis de GH. São os carboidratos encontrados em produtos ricos em açúcar, nas farinhas brancas, biscoitos, doces, refrigerantes e bolos.
  3. PRATIQUE EXERCÍCIOS COMPOSTOS: são os que envolvem mais de um grupo muscular e mais de um movimento articular, como a flexão de braço, por exemplo. Esses exercícios podem ajudar o aumento dos níveis de GH.
  4. EXERCÍCIOS EM ALTA INTENSIDADE: pouco tempo de pausa entre uma série e outra, poucas repetições e alta carga. Quanto mais intenso o seu treino, maiores níveis de GH serão liberados.
  5. NÃO COMER GORDURA ANTES DO TREINO:  até uma hora antes do treino, se forem ingeridas grandes quantidades de gordura, os níveis de GH caem. A refeição pré-treino deve conter proteínas e carboidratos complexos, como por exemplo, um copo de iogurte e uma fruta.
  6. RELAXE! : Estresse e ansiedade reduzem os níveis de GH, procure praticar atividades de relaxamento, como ioga, meditação, relaxamento muscular, enfim ,qualquer atividade que possibilite relaxamento.