Febre Maculosa: o que é? Sintomas, prevenção e tratamentos


O que é?

Carrapato estrelaUma doença infecciosa, mais comum às zonas rurais, transmitida ao homem pelo carrapato, que carrega a bactéria Rickettsia rickettsii em suas células.

No Brasil, o carrapato que transmite a doença é o mesmo que costuma infestar animais domésticos como cães, gatos, bois, etc., além de animais selvagens como capivaras, gambás e até mesmo cobras e tatus. Ele é chamado “carrapato-estrela”, “carrapato de cavalo” ou “rodoleiro”.

O carrapato transmite a doença ao picar o animal, inoculando a bactéria em sua corrente sanguínea ou ainda, através de feridas abertas, mas essa é uma forma mais rara de contaminação. No homem, a transmissão é extremamente rara devido ao fato de que o carrapato precisa ficar aderido à pele por muitas horas.

Após ser infectada, a pessoa adquire imunidade à doença.

Quais os sintomas?

Maculas

“Maculas” no punhos, um dos sintomas da Febre Maculosa.

Após, em média, uma semana da contaminação, a pessoa apresenta sintomas que podem ser muito fracos ou nem aparecerem, o que dificulta para diagnosticar a doença. A doença começa  de modo súbito, com febre alta por até três semanas, necessitando repouso. Além da febre, é comum ter forte dor de cabeça, calafrios, dores no corpo e edemas nos olhos. Também nos primeiros dias da febre podem aparecer as máculas (de onde vem o nome da doença), que são lesões rosadas da pele dos punhos e tornozelos, chegando ao tronco e face, depois às mãos e pés. Dentro de dois ou três dias, as lesões tornam-se mais volumosas e de coloração mais forte e, após quatro dias, ficam arroxeadas e podem se unir, em algumas partes, formando um hematoma. Pode também haver descamação em certas áreas e, no local da picada, formam-se ulcerações necróticas, como as picadas de aranha.

A cura espontânea pode ocorrer em até três semanas, mas, quando há agravamento do quadro, as lesões são hemorrágicas e podem ocorrer até mesmo necroses em dedos, orelhas, palato mole e genitais. Sangramentos das gengivas, nariz, vômitos e tosse seca podem ocorrer. Há casos que exigem internação hospitalar, quando ocorre comprometimento sistêmico com pressão baixa, sangramento digestivo, desidratação e insuficiência respiratória.

É necessário um diagnóstico diferencial de outras doenças infecciosas que também apresentam lesões de pele e febre alta (febre Tifóide, Sarampo, Malária, etc.).

O diagnóstico preciso é feito através de exame de sangue, por sorologia e cultura.

Algumas pessoas infectadas não apresentam nenhuma lesão de pele, sendo muito difícil o diagnóstico nesses casos. A mortalidade pode atingir até 20% dos casos diagnosticados, sendo uma situação rara se o tratamento for precoce.

Quais os tratamentos?

A maioria das pessoas possivelmente fazem uso apenas de medicamentos como antitérmicos e analgésicos, além de repouso. Acredita-se que estas nem cheguem a diagnosticar a doença, que se cura em algumas semanas, mas, nos casos mais graves, o uso de antibióticos específicos e às vezes até um tratamento intensivo se faz necessário.

Prevenção

Animal domésticoA prevenção se faz através do cuidado com os animais domésticos, aplicando carrapaticidas regularmente.  Se precisar permanecer em áreas que possam estar infestadas por carrapatos, observar cuidados como: uso de calças compridas e botas; observar a própria pele regularmente, retirando o mais rápido possível qualquer carrapato que notar, sem se esquecer de não esmagá-lo com as unhas.

Fontes de pesquisas:

http://www.abcdasaude.com.br/

http://www.sucen.sp.gov.br