Derrame Pleural: o que é, causas, sintomas e tratamentos

Hoje em dia, procuramos de alguma maneira acompanhar a dinâmica da vida em seus vários segmentos de modo a nos inteirar a respeito de acontecimentos que nos levem a um melhor conhecimento do mundo e aos desafios que nos são propostos constantemente.

Por consequência, desfrutamos de uma gama de informações que vêm nos ajudar a compreender determinados temas de maneira prática e com a rapidez característica de nossa época.

Pensando neste contexto e falando sobre saúde, achamos conveniente nos referir a um tema  muitas vezes  apresentado em nosso dia a dia, porém, nem sempre  entendido integralmente.

Com o propósito de tentar elucidar a questão de forma mais simples, viemos tratar da matéria com o intuito de ajudá-lo (a) a perceber de modo mais prático este problema.

Inicialmente devemos dizer que o derrame pleural não é uma doença, mas a manifestação de outras enfermidades que propiciam o problema.

PleuraA cavidade pleural é um espaço existente entre as pleuras visceral e parietal.    Estas mesmas pleuras são separadas por uma fina película de lí- quido, permitindo o deslizamento entre as mesmas.

Todavia, quando há excesso de líquido acumulado nesta cavidade, acontece o derrame pleural propriamente dito.

Este quadro clínico é desencadeado, muitas vezes, por doenças pulmonares.

Existem basicamente dois tipos de derrame, a saber: o transudado e exsudado.

Derrame na PleuraNo primeiro não há lesão no espaço pleural e a aparência do líquido é clara e transparente. Podemos encontrar sua causa em doenças como, embolia pulmonar, cirrose, insuficiência cardíaca, etc. Enquanto no exsudado, as causas são encontradas normalmente em doenças infecciosas, neoplasias, processos inflamatórios etc.

Os sintomas mais comuns são a dor toráxica, tosse seca, febre, dificuldade em respirar.

Para o diagnóstico é necessário a análise do tipo de líquido encontrado. A partir deste momento, a observação tornará possível concluir quanto à natureza do derrame pleural, ou seja, se este resulta em transudado ou exsudado.

Serão necessários também para apuração de resultados, exames de imagem como a radiografia, que permitirá a detecção do acúmulo de líquido na pleura. A ultra-sonografia e tomografia de tórax revelam-se igualmente importantes para o diferencial nesta questão.

Biópsia Pleural

Para avaliar a origem do derrame pleural é utilizada a toracocentese sempre que possível.

Por último, será necessária a biópsia pleural, se por qualquer motivo, persistir alguma dificuldade ou dúvida com relação à sua causa.

O tratamento do problema se dá de acordo com o tipo de derrame que o paciente apresenta, sendo o mesmo resolvido, a partir da ocasião em que a doença que o originou for tratada adequadamente.

Para finalizar, a fisioterapia respiratória é necessária ao tratamento, uma vez que, ajuda a prevenir e ou evitar de forma significativa, o surgimento de problemas pulmonares posteriores.

Fontes de informações

consultarmedico.com

derramepleural.com

absdasaude.com.br

Recomendar:

Comentários

Sobre o autor

Redação

SiteTwitterFacebook