Conheça a Pirâmide Alimentar Infantil


Pirâmide Alimentar infantil

Toda mãe sabe que nos primeiros 6 meses de vida do bebê, o único alimento que ele pode e deve receber é o leite materno, pois ele possui várias vitaminas e substâncias essenciais para uma boa formação de células de defesa. Isso faz com que a criança tenha menos chance de contrair alguma doença grave.

Apesar de todas saberem disso, muitas não sabem como alimentar adequadamente a criança após esse período, onde ela começa a comer alimentos sólidos.

Pirâmide Alimentar

Para ajudar as mamães que estão perdidas nesse assunto, existem as pirâmides alimentares. Elas são usadas frequentemente por nutricionistas, e são consideradas o modo correto e saudável de qualquer pessoa se alimentar. Para adaptar-se ao organismo dos bebês, foi criada a pirâmide alimentar infantil. Ela funciona como um “mapa”, que dá todas as informações a respeito da quantidade de cada tipo de alimento que pode ser dada.

Vale salientar que a pirâmide é um padrão, mas que pode ser alterado a qualquer momento por um profissional da área de nutrição, levando em conta o peso, tamanho e idade da criança. Por exemplo, se ela for um pouco mais gordinha que o natural, deve-se diminuir a quantidade de massas e aumentar um pouco a de legumes e frutas, para que haja um equilíbrio e não faltem, nutrientes para ela. O que não pode ser feito de forma alguma, é excluir qualquer “andar” da pirâmide, já que tudo que está nela é essencial para uma vida saudável.

Entendendo a Pirâmide

  • Base – é aí que estão os alimentos ricos em carboidratos, como cereais, massas e pães. Como estão na parte maior da pirâmide, devem ser ingeridos também em maior quantidade do que os outros, já que sem carboidratos, não há energia.
  • 1º andar – nessa parte encontram-se os alimentos reguladores, que são as verduras, frutas e legumes. São chamados dessa forma, pois possuem várias substâncias essenciais para o funcionamento do nosso organismo, como vitaminas, fibras e alguns minerais, que controlam várias reações corporais.
  • 2º andar – nesse nível, estão os produtos de origem animal, como o leite (e seus derivados), ovos e as carnes, sejam elas brancas ou vermelhas. Junto com eles, também estão os grupos das ervilhas, feijões e nozes. Todos eles são extremamente importantes e necessários para a sobrevivência e formação, já que são grandes fontes de proteína.
  • Topo – no topo, encontramos os alimentos que devem ser ingeridos com mais cautela e em poucas quantidades, pois além de serem extremamente calóricos, se consumidos sem disciplina, podem causar sérios problemas de saúde, como diabetes, obesidade e problemas cardiovasculares. Estamos falando dos açúcares, doces, o grupo dos óleos, manteigas e gorduras.