Cirurgia de ginecomastia – preços e detalhes da cirurgia

Ginecomastia

Seios grandes é sinônimo de sensualidade e beleza estética nas mulheres, mas quando ocorre em homens, devido a algum distúrbio hormonal, torna-se algo para se ter vergonha e que causa constrangimento. A esse problema, damos o nome de ginecomastia.

O que é?

A ginecomastia (que significa “mamas femininas”) é caracterizada pelo aumento excessivo da região mamária em indivíduos do sexo masculino. Ela ocorre principalmente nas fases onde ocorrem mudanças hormonais no homem, como na infância, adolescência e em alguns casos, também na velhice. Ao contrário do que muita gente pensa, a ginecomastia ocorre sem que haja nenhuma patologia como base, ou seja, na maioria das vezes, ela não é causada por nenhuma doença específica, mas sim por uma série de mudanças hormonais. Essa mudança se dá da seguinte maneira: o corpo começa a produzir mais estrogênio (que é um hormônio natural feminino) e passa a fabricar menos testosterona (o hormônio responsável pelas características masculinas, como voz grossa, músculos e pelos).

É um problema mais comum do que se imagina, já que atinge mais de 40% dos homens em uma ou ambas as mamas.

A maioria dos casos acontece durante a adolescência, e quando a mesma acaba, o problema pode ser revertido, o que chamamos de ginecomastia benigna. Nesses casos, ela pode ser tratada sem deixar vestígios, proporcionando uma vida normal para o paciente.

Já se o problema persistir após a adolescência, estendendo-se até para a terceira idade, ou for constatado que o problema é causado por um nódulo (maligno ou benigno), é necessária a retirada cirúrgica do mesmo.

Classificação

Homem com ginecomastia

Para determinar o tipo de cirurgia e tratamento adequado, a ginecomastia é classificada em três graus de acordo com o seu desenvolvimento:

  • Grau I: caracterizado quando existe apenas um botão na região do tecido glandular, com maior concentração ao redor da aréola. Nesses casos, o tórax não é gorduroso e não há pele excessiva na mama, sendo de fácil remoção.
  • Grau II: nesses casos, há a presença de gordura no tórax com margens não bem definidas. O tratamento indicado é uma lipoaspiração do tecido excedente.
  • Grau III: já nesse grau, a ginecomastia já está difusa com muito excesso de pele. Os pacientes que apresentam esse grau do problema, devem ser submetidos a uma cirurgia onde é feita uma incisão externa à aréola e/ou reposicionamento aréolo-papilar.

Cirurgia

O tipo de procedimento cirúrgico a ser realizado depende do tipo e do grau de ginecomastia que o paciente possui. Atualmente, existem três procedimentos eficazes no tratamento desse tipo de problema. São eles:

  • Lipoaspiração: é indicada apenas nos casos mais simples, onde existe apenas um pequeno acúmulo de gordura nas mamas. É feita com anestesia local e possui um tempo de recuperação baixíssimo.
  • Remoção da glândula: esse procedimento é indicado para casos onde há um aumento anormal da glândula mamária. Nesses casos, é feito um corte na região areolar para a retirada da glândula. O paciente não deve se preocupar com a cicatriz, pois ela fica inteiramente disfarçada devido à coloração natural dessa região.
  • Mamoplastia redutora: é feita apenas nos casos de grau III, onde o problema é mais severo e acomete grande parte do tórax e um grande excesso de pele. Nesses casos, a cicatriz é maior, formando uma linha horizontal na mama em questão.

Preços

Os preços de uma cirurgia para correção de ginecomastia varia de acordo com o grau e também com o médico que irá realizar. No Brasil, os preços variam entre R$ 1.000 e R$ 3.500.

Recomendar:

Comentários

Sobre o autor

Redação

SiteTwitterFacebook