Câncer de vagina – Causas, sintomas e tratamentos


Ginecologista

O que é?

Comumente, os tipos de câncer que mais ocorrem na vagina, são do tipo secundário, ou seja, metástases de cânceres de colo do útero, de endométrio, intestino grosso ou de ovário. O câncer que se origina nas células que revestem as paredes da vagina, chamado Carcinoma Epidermóide é raro, mas também ocorre, representando 1% apenas dos tumores ginecológicos.

Cânceres de vagina ocorrem com maior frequência em mulheres de mais idade – comumente em mulheres entre 45 e 65 anos – ou sem atividade sexual, o que é um dos motivos para o diagnóstico em fase avançada da doença.

Causas

A exposição ao HPV (Papiloma Vírus Humano) é a principal causa, também sendo um fator de risco a irradiação prévia. Certo tipo de câncer vaginal, bastante raro, o câncer de células claras, ocorre em mulheres cujas mães fizeram uso de uma droga chamada dietilestilbestrol durante a gravidez.

Sintomas

Tem como principal sintoma o corrimento vaginal, podendo ser um sangramento. Além disso, há ardência e, em alguns casos, dor durante as relações sexuais. Em casos avançados, há feridas, que podem ou não apresentar infecção e também a constipação intestinal, além disso, nesses casos mais avançados, em que o câncer atinge tamanho maior, afeta também a bexiga e o reto, causando uma urgência e frequência maior para urinar, além de dor ao fazê-lo.

Tratamento

Estes tumores podem ser diagnosticados através de exames das paredes vaginais a olho nu ou com um aparelho chamado colposcópio, que aumenta a imagem. Havendo lesões suspeitas, estas devem ser biopsiadas. O tratamento desse câncer dependerá do estágio em que se encontrar o tumor, conforme o grau de invasão, podendo ser indicada a cirurgia ou radioterapia. Normalmente a radioterapia é bastante usada, assim como a remoção cirúrgica. Após o tratamento desse câncer, as relações sexuais podem se tornar difíceis ou até mesmo impossíveis, mas, em alguns casos, há a reconstrução da vagina através de enxertos.

Prevenção

Como para os outros tipos de câncer, a melhor forma de prevenção seria evitar os fatores de risco, como a exposição ao HPV (Papiloma Vírus Humano); fazer consultas periódicas ao ginecologista, mantendo os exames preventivos em dia; além, é claro, de manter hábitos saudáveis quanto à alimentação, atividades físicas sempre que possível, evitar excessos no consumo de álcool e tabaco, etc. Todos esses cuidados contribuem para que o organismo se mantenha menos propenso  a desenvolver qualquer tipo de câncer, ou, se o desenvolver, as chances de cura aumentem consideravelmente.

Fontes de Informações

abcdasaude.com.br

mmspf.msdonline.com.br