Borracha


 

Borracha

Quando erramos logo recorremos a ela. Dela vem o reinício, a nova chance, quem em muito se assemelha a um “Eu te perdôo”.

Quem dera se a ventura da vida também nos proporcionasse a chance de acertar todos os erros cometidos por nós. Mas não. Somos chicoteados pelos Senhores de Engenho, como paga por cada grão de café que derrubamos sobre o chão.

A borracha tem várias formas, desde aquela de quatro ângulos de noventa graus, até as cilíndricas que imitam uma caneta.

Tendo a forma que for, ela continua a ser apenas borracha, e a apagar somente nossos erros ortográficos, que cometemos por causa das dormidas que dávamos durante aquela aula chata, lecionada por aquela professora chata, naquela escola chata.