Biografia do político Paulo Salim Maluf


Paulo Maluf

Foto: Reprodução

Engenheiro, empresário e político, Paulo Maluf é um homem bem sucedido e conhecido principalmente pela sua vida na política, acompanhada de grandes escândalos que marcaram sua história.

História

Filho de imigrantes libaneses que trabalhavam no ramo da indústria que resolveram investir na América do Sul, Paulo Salim Maluf nasceu em São Paulo no dia 3 de setembro de 1931. Em sua juventude entra na política pelo movimento estudantil da Universidade de São Paulo, do qual fazia parte do grêmio da faculdade. Após formar-se no ano de 1954 assume o cargo de diretor-superintendente na empresa de sua família, casa-se com Sílvia Lutfalla no ano de 1955, com a qual teve quatro filhos e treze netos. Após nove anos torna-se vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo e com a amizade que fez com o general Artur da Costa e Silva e sua mulher, integra-se a política. Tal general famoso por fazer parte da conhecida “linha-dura” do regime militar, consegue com seu cargo de presidente do Congresso Nacional indicar Maluf para presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) em São Paulo, já nos anos de 1967 e 1968. Em oito de abril de 1969, assume seu primeiro mandato na prefeitura da cidade de São Paulo e em 1979 o cargo de governante do Estado. Depois de algumas derrotas políticas para Governante do Estado e Presidente da República entre os anos de 86 e 90, consegue novamente a Prefeitura no ano de 1992.

Grandes realizações na gestão

Como presidente da CEF, Paulo Maluf apresenta novidades, como: ICMS, ISS, IPTU, Imposto de Renda e também as conta de luz, água, gás e telefone. Com isso tudo consegue equilibrar a Caixa em 1967 e gerar consideráveis lucros no ano seguinte. É também nessa gestão que cria o processo de empréstimo para a casa própria.

Em seu primeiro mandato para prefeito, constrói grandes obras como a Marginal Pinheiros e o Minhocão.

Na Secretaria de Transportes, inaugura a primeira etapa do metrô da maior cidade do país, hoje conhecida como linha 1- azul e iniciou a duplicação e acelerou a construção das rodovias Bandeirantes e Imigrantes.

Na gestão de governador cria em 1981 a Eletropaulo e inaugura em 1982 o maior terminal rodoviário da América Latina, o Terminal Rodoviário do Tietê. Constrói a Rodovia dos Trabalhadores, que foi renomeada como “Rodovia Ayrton Senna” em 1994 e em parceria com o Ministério da Aeronáutica, o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Inicia a construção das hidrelétricas de Rosana, Nova Avanhandava, Três Irmãos, Porto Primavera e Taquaruçu. Inaugura o Hospital das Clínicas e o equipa com o Instituto do Coração.

Escândalos, denúncias e prisão

De 10 de setembro a 20 de outubro de 2005, Maluf ficou preso no cárcere da Polícia Federal de São Paulo, acusado de intimidar uma testemunha, isso aconteceu após denúncias por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção e crime contra o sistema financeiro por evasão fiscal. O STF autorizou a saída dele da prisão por considerar juridicamente ilegal a sua reclusão, pois sua saúde era frágil.

Ironicamente possuíndo uma frágil saúde, foi visto por jornais tomando chopp e comendo pastel em Campus do Jordão no dia seguinte. Em 2006 pagou uma multa milionária de R$1,2 milhão por contratação irregular da TV Globo para cobertura da Maratona de São Paulo. Também é acusado por conter uma conta vultosa no paraíso fiscal das Ilhas de Jersey de US$200 milhões. Em 2010 seu nome foi incluído na Interpol e por isso ele pode ser preso em 181 países. Já em 2012 foi incluído pelo Banco Mundial em uma lista de 150 casos de corrupção internacional.