Aneurisma Cerebral: o que é, causas, sintomas e tratamentos


O que é?

Aneurisma CerebralÉ uma dilatação anormal de uma artéria cerebral, podendo haver um rompimento nesse local dilatado e consequentemente um “vazamento” de sangue em um espaço no cérebro chamado “espaço subaracnóide”. Pode-se usar, a título de comparação, um pneu, cuja câmara tem irregularidades em sua superfície e, em determinada parte em que há essa dilatação há o rompimento e o ar sai sob pressão.

O risco de morte é muito grande com a ruptura do aneurisma, sendo que um terço dos pacientes que sofrem hemorragia do aneurisma é levado à óbito e alguns tem dois ou mais episódios de hemorragia do aneurisma, com o risco de morte se somando a cada um dos episódios.

Causas

Algumas pessoas já nascem com aneurismas (aneurismas congênitos), que podem aumentar ao longo da vida e romper. A ruptura pode ocorrer em qualquer fase da vida, sendo mais comum ocorrer entre os quarenta e cinquenta anos de idade.

Devido à arteriosclerose, a parede da artéria engrossa, danificando e modificando seu funcionamento e dilatando-a, podendo ocasionar o aneurisma. Além disso, a pressão alta constante no interior de uma artéria também pode ser causadora de aneurisma.

Há fatores de risco como:
Tabagismo

  • A relação sanguínea com quem teve aneurisma, principalmente entre irmãos;
  • Mulheres têm mais propensão a desenvolverem aneurismas;
  • Em torno de 20% dos pacientes apresentam mais de um aneurisma;
  • Hipertensão arterial;
  • Colesterol e triglicerídeos em níveis alterados;
  • Diabetes;
  • Tabagismo: há oito vezes mais chance de um fumante desenvolver aneurismas;
  • Problemas relacionados ao colágeno.
  • Uso de entorpecentes como cocaína.

Sintomas

EnjôoQuando ocorre o rompimento de um aneurisma, a principal queixa é de cefaléia forte, acompanhada de enjôos e vômitos, podendo ocorrer convulsões e a perda da consciência. Há também casos em que o paciente tem uma súbita queda da pálpebra (ptose palpebral), seguida de cefaleia e outros têm uma progressiva perda da visão, ocasionada pela compressão do aneurisma, prejudicando o nervo óptico.

Depois de algumas horas, o paciente pode apresentar rigidez na região da nuca, como numa meningite e dor nas costas e também nas pernas, isto porque o sangue pode escorrer para a coluna, ocasionando uma irritação nas raízes nervosas, o que causa a dor.

Tratamentos

Dependendo do tamanho e situação do aneurisma, se houve ruptura, se foi infectado, de sua localização, tamanho e da saúde geral do paciente, há a possibilidade de cirurgia ou não.

Aneurismas que não romperam, podem ser acompanhados e o paciente, juntamente com o médico responsável, pode decidir qual o momento adequado para a cirurgia, se esta for a necessidade. Já aneurismas rotos exigem uma providência imediata, pois há o derrame  no cérebro. Há casos em que a localização do aneurisma ou a saúde do paciente tornam a cirurgia arriscada, nestes casos, há a alternativa da embolização, que consiste na introdução de um cateter através da artéria da virilha, levando até o aneurisma micro molas de platina que o estancam. Também recentemente, foi criado um material chamado Onyx, um líquido que se torna sólido no interior do aneurisma e serve para substituir as molas de platina.

Fontes de informações

copacabanarunners.net

abcdasaude.com.br